Review do filme Assassinato no Expresso do Oriente

Olá, tudo bem com vocês?

Hoje nós vamos conversar sobre o filme O Assassinato no Expresso do Oriente.

Para aqueles que estão chegando aqui no Hábito de Ler agora, sugiro que leia minha última resenha do livro O Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie, que deu origem ao filme. Lá eu prometi que faria um comparativo entre o filme e o livro.

A primeira e clássica versão da adaptação do livro O Assassinato no Expresso do Oriente chegou aos cinemas na década de 1970, através do cineasta Sidney Lumet, com seis indicações ao Oscar e com a vitória de atriz coadjuvante para Ingrid Bergman.

A nova adaptação da obra de Agatha Christie chegou dia 30 de novembro de 2017 aos cinemas brasileiros. Kenneth Branagh diretor e também protagonista – interpreta o famoso detetive Hercule Poirot conta com um elenco top – Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Judi Dench, Penélope Cruz, Daisy Ridley e Willem Dafoe. Este filme traz um mistério cativante e cria uma expectativa bastante atraente.

O que aprimora o filme é sua perspectiva através das emoções e sensações do detetive Poirot, isso é visível logo no início do roteiro, escrito por Michael Green, com o que acontece com Poirot antes de entrar no Expresso Oriente.

No início do filme, seu ritmo é lento e, relembrando um pouco da história, o mais bem conceituado detetive do mundo Hercule Poirot logo que chega à Turquia, para aproveitar alguns dias de férias, recebe um telegrama vindo de Londres solicitando sua volta urgente. Poirot encontra um velho amigo, Bouc, que é responsável pelo trem Expresso do Oriente, exatamente o trem em que o detetive precisava embarcar. O trem já estava lotado, mas, este amigo consegue acomodar Poirot em um dos vagões.

A viagem, com duração de três dias, segue tranquilamente até que no segundo dia, quando o trem já estava na Iugoslávia, o filme ganha uma dinâmica mais emocionante, isso porque, o trem fica soterrado na neve por conta uma grande nevasca que o impede de prosseguir viagem e, ainda, acontece um assassinato de um homem muito rico, Sr. Ratchett, um desonesto comerciante de antiguidades que morre vítima de muitas facadas, em seu interior. Bouc implora a Poirot que investigue e desvende o caso, ele prontamente, em respeito e amizade, aceita.

A partir daí, podemos acompanhar a investigação do detetive Poirot dos 12 passageiros que, aos poucos, vai nos revelando segredos e contradições dos investigados.

A cena da revelação no final do filme é surpreendente e emocionante, pois liga, como uma teia, todos os pontos da trama de forma incontestável.

Em geral, eu não gosto de filmes adaptados a partir de livros, considerando as exceções, é claro. Porém, esta adaptação do filme O Assassinato no Expresso do Oriente é uma delas. Vale assistir, mas antes leia o livro, você encontrará perspectivas e olhares diferentes.

Vou deixar aqui o link para que você, caso queira, compre o livro O Assassinato no Expresso do Oriente ou qualquer outro produto, lembrando que ele também é uma excelente opção para presente de Natal.

Não se esqueça de que ao comprar qualquer produto através do link abaixo, você estará ajudando à manutenção deste blog e do canal no YouTube – Hábito de Ler – que está sendo elaborado com muito capricho e, em breve, estará no ar.

Até a próxima resenha.

Amazon: http://amzn.to/2ktWJwK

3 thoughts on “Review do filme Assassinato no Expresso do Oriente”

  1. Uau..ainda não li o livro e nem o filme…mas essa resenha me deu uma grande vontade de ir mergulhar nesta história. ..ameiiii

Deixe seu comentário